Trans(bordar)

Solidão. É uma palavra dura,

crua

fria.

Solidão, porque se eu pudesse definir o que me mata seria esse antro repleto de tão somente eu mesmo.

Solidão.

Porque se eu pudesse proferir o que me salva, seria esse eterno correr pra onde eu, e tão somente eu, posso me achar.

E se eu dissesse qualquer coisa que tem nos salvado e nos unido e, por deus, nos matado, é essa maldita solidão. Esse monstro que ecoa em nossos ouvidos, que rastejamos enquanto eles se agarram em nossos pulsos, essa sombra pesada que habita os vãos da casa.

E o que mais dói é saber que a minha solidão foi roubada por ti,que nada,nada me devolveu. E eu morro solitária em suas chegadas

ausências

presenças

partidas

Solitária em mim, ainda que transbordando de você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s