Autofagia

Acordo num pulo

porque você levanta

doce da cama.

Me ama.

Me veste

Despe

Reveste

Recobre.

Quem sou eu hoje?

De quem me fantasio? Me

iludo

Sou eu disfarçada. Vestida.

Me cobre

Me engole

Mastiga

Alucina.

Teu corpo me entrelaça

Abraça

Afaga.

Me despe

come, goza, gosta

Me entrego ao enredo

sem medo, sem dor.

Pudor pra quê? 

Pra quem.

Pra mim a cama é grande,

as luzes fortes

a cidade acorda e a gente

ri

escandalosamente.

Mas você que me devora

e de longe me aflora a alma

a calma

a cama clama pelos corpos

e pelos pelos arrepiados.

Molhados

cuspidos.

Teu corpo esculpido

lambido e te provo

aprovo.

Me deito em teu peito

e me deleito.

Porque te como e não me sacio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s