Teus cigarros acesos agora queimam minh’alma.

Teus olhos que me olham me assustam porque poucos já conseguiram me ver.

E agora me enxergar pelos olhos teus tem me roubado a paz.

Se adormeço debruçada nas asas desse  anjo negro, é porque não me asseguro a sensatez do bem querer.

Então não me rouba a paz. Não retorna mais tarde. Me deixa asfixiar agora enquanto a dor ainda hei de ser menor.

Me deixa fenecer escorada nesse anjo que venero por não ter as asas livres. Ele tem seu semblante adormecido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s